“NAVEGAR É PRECISO… EM PROSA, VERSO E RISO!”

Os descobrimentos – o período mais rico da História da Humanidade – são uma lição de força e vigor para encararmos os novos desafios, as mudanças… os novos horizontes!

Espetáculo que propõe uma viagem na mítica caravela,
levando homens e mulheres, a verem mais
além… a terem sonhos, e a lutarem pela sua realização!


Apresentação

“Navegar é Preciso… Em Prosa, Verso e Riso!” nos leva ao reencontro de nossos antepassados. Seus feitos heróicos na busca do sonho nas Índias, realçados pela beleza da poesia de Fernando Pessoa, Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade e Camões, e pela música (em especial o Fado), emocionam a todos os que têm o sangue temperado com o carinho e a saudade – o “salitre do Mar Português”.

“Navegar é Preciso… Em Prosa, Verso e Riso!” levará cada um a crescer com seu sonho: a centelha divina.

“Deus quer, o Homem sonha a obra nasce”
Fernando Pessoa


O relato dos feitos heróicos na busca do sonho das Índias, realçado pela
beleza da poesia de Fernando Pessoa, Manuel Bandeira, Carlos
Drummond de Andrade, Camões.
e pela música (em especial o Fado), emocionam, empolgam a todos e
tocam profundamente na alma dos que viajam nessa caravela…


Objetivo

Dado o grande exemplo empreendedor de nossos antepassados, alcançando metas ambiciosas e realizando sonhos impossíveis, é nosso objetivo:

» Reconhecer e destacar o fator humano como determinante na idealização e realização de metas.

» Promover um ambiente positivo “estamos todos no mesmo barco”.

» Destacar que a boa preparação, o método e a precisão (navegar é preciso) são fundamentais ao êxito da missão.

» Reforçar a idéia de que o bom desempenho e a realização individuais, tem um impacto direto nos resultados e na organização global.

» Elevar a auto-estima, através de um novo olhar sobre a História e a Poesia.

» Incentivar e favorecer as mudanças Os Novos Mares!

» Aliar o aprender a alegria, o trabalho ao prazer.

A Verdade histórica que liberta e revigora a auto-estima, o Entusiasmo (En + Theos: Deus dentro), que nos dá a força para dizer “Cheio de Deus, não temo o que virá / pois venha o que vier, nunca será / maior do que a minha alma!”, a Música das caravelas… que canta a saudade e a Poesia – que nos dá a consciência do que é essencial – tocam-nos profundamente, fazem-nos refletir e agir (em busca de um melhor porvir), com a convicção de que, como lá atrás, com coragem e siso, mais uma vez “Navegar é Preciso…”.


As empresas e organizações, que sofrem de asfixia, necessitam deste novo ar, da maresia, dos bons-ventos… que sopram com a poesia.

“Poesia não serve para coisa nenhuma… a não ser o essencial!”


Público-Alvo

Convites para apresentações em grandes empresas e organizações tais como: Banco do Brasil, Biblioteca Nacional, ABRH Rio, SESC, PETROFLEX, Confederação Nacional do Comércio, ABL – Academia Brasileira de Letras e CONARH 2003 confirmam o agrado de um vasto e heterogêneo público.

Pretendemos alcançar:
– Na Área Educacional: Estudantes e Professores
– Nas Empresas: Lideranças, Funcionários, Clientes e Colaboradores.

O trabalho, ainda que extenuante, se for executado na mira da realização do sonho,
não é sacrifício (dor), é motivador! É Sacrifício no sentido de “tornar sagrado”,
na busca do seu sonho, o pedreiro não quebra pedra… constrói catedrais!

Uma equipe interessada fica unida e atenta para saber a rota a ser tomada…